Páginas

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Música, pra que te quero?

Qual criança não gosta de música? A coisa mais comum do mundo é ver um tampinha que adora ouvir as mesmas músicas com frequência, dançando ao som de seus cantores (ou bandas) preferidos e cantando junto com eles.
Pois sabia que esta relação das crianças com a música pode trazer benefícios para o desenvolvimento. A descoberta foi feita recentemente por um grupo de pesquisa da York University, no Canadá, em parceria com o Royal Conservatory of Music, do mesmo país. Os cientistas fizeram um estudo com canadenses mirins, de idades entre quatro e seis anos, e descobriram que 90% mostraram ganhos cognitivos depois de 20 dias de treinamento com desenhos interativos e musicais. Curioso, não?
A psicopedagoga Maria Luiza Werneck acredita que os primeiros anos de vida devem conter estímulo intelectual, afeto e atenção para que as crianças se desenvolvam de forma saudável. Para ela, a pesquisa da York University mostra que os pais devem mesmo investir na música como recurso para reforçar o aprendizado dos filhos:
- A música precisa estar presente no dia a dia das crianças desde cedo. Inicialmente os pais podem oferecer canções de ninar, cantigas de roda e até mesmo música clássica. Num segundo momento, além de matricular os filhos em uma escola que valorize a musicalidade e seus benefícios, cabe também a eles o papel de levar a prole para assistir musicais infantis e concertos para crianças, além de incentivar o uso de jogos e DVDs nos quais a música esteja presente. Para complementar, a criança pode ser inscrita em uma escola de música, onde terá a oportunidade de aprender a tocar um instrumento de acordo com seu o interesse e faixa etária – sugere Maria Luiza.
Por isso, caros papais e mamães, não percam tempo e coloquem mais música na vida da sua galerinha!

Fonte: Maria Luiza Werneck
Psicopedagoga Clínica
www.marialuizawerneck.com.br