Páginas

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Tem bichinho novo em casa!



Levar um filhotinho pra casa é sempre motivo de alegria e empolgação, especialmente para as crianças. Mas poucos pais sabem que a introdução de um novo animal de estimação deve ser feita da maneira correta para que o primeiro contato seja positivo. É importante que todos os membros da família estejam calmos para apresentar os animais e aptos a agir caso necessário.

Se a família já tem um cão sociável em casa, isso ajuda na introdução de novos animais caso sejam seguidos alguns procedimentos, como explica a veterinária Dra. Ceres Faraco: “Cachorros tendem a ficar mais agressivos no espaço em que vivem, por isso, a apresentação de um filhote deve ser em local neutro e não familiar a eles. Uma única briga entre os dois pode tornar a inclusão mais complicada. O mesmo risco também existe se recolocarmos um cão com outro depois de terem sido separados por algum tempo. Os animais devem ser reapresentados com supervisão”, explica.

A veterinária enfatiza também que a apresentação pode acontecer na rua mesmo, colocando cada um dos cachorros em um lado da calçada, sempre controlados na guia por um condutor, em uma distância suficiente para um não provocar o outro. “Assim, mesmo que haja hostilidade, será pouco intensa e fácil de interromper. Não é necessário ter pressa e nem antecipar etapas, pois a cautela nos encontros iniciais assegura um futuro sem problemas”, diz a veterinária. Ainda de acordo com a especialista, caso o animal faça algo que não deve, é preciso dar um puxão rápido na guia, porém com força compatível com o tamanho do animal para não machucar, e dizer “não”. Se ele insistir, é importante distraí-lo com brinquedos ou iniciar um afastamento maior do outro cão.

Confira todas as dicas da especialista para inserir o novo pet na residência sem causar problemas:

-Controle absoluto para desestimular provocações. É muito importante que percebam esse controle sobre eles. Por isso, durante a apresentação, cada animal deve ser conduzido na guia por uma pessoa;

-Recompensar os pets por comportamentos corretos;

-Enquanto não terminarem os exercícios de aproximação, os cães não devem ser postos juntos ou de maneira que possam se ver;

-Provocações podem anular o treinamento feito e tornar os cães ainda mais agressivos;

-Dê preferência a adquirir animais de sexo oposto. Fêmeas tendem a brigar mais entre elas, o mesmo caso acontece com os machos;

-O procedimento de apresentação não precisa ser colocado em prática todos os dias. Mas a frequência determina agilidade nos resultados;

-Se houver mais de um pet ao qual apresentar o novato, realize o procedimento apresentando o recém-chegado a cada um dos residentes, até que todos o aceitem;

-Devem ser apresentados fora de seus territórios;

-Aproxime-os gradativamente, sempre mantendo os bichinhos na guia;

-Após o procedimento, não coloque os animais em locais que possam se provocar;

-Solte-os para ficarem juntos apenas quando sentir total confiança e controle sobre eles;

-Procure ajuda de especialista se você não tiver uma boa experiência com pets.


Fonte: Dra. Ceres Faraco, veterinária parceira da Comac (Comissão de Animais de Companhia do SINDAN - Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal).