Páginas

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Mamadeiras e chupetas a salvo de bactérias


Muitos pais, especialmente os de “primeira cria”, se preocupam em não deixar que os filhos tenham contato com brinquedos e outros objetos que estejam no chão, para evitar possíveis doenças causadas por bactérias. Mas será que é somente no chão em que está o perigo?

Infelizmente, não. Existem outros objetos que podem ser “porta de entrada” de bactérias ao organismo dos bebês: as mamadeiras e chupetas. As bactérias se concentram nesses utensílios devido a sujeiras acumuladas, além de transporte e manuseio inadequados. De acordo com a farmacêutica Adriana Coppola Faria, como o organismo de bebês e crianças ainda não está totalmente preparado para suportar uma carga bacteriana intensa, o acúmulo pode causar diversos efeitos nocivos. “Podem surgir doenças como as gastroenterites, que provocam vômitos e diarreia, além de desidratação, formação de gases e dor de cabeça”, complementa a especialista.

Confira agora algumas dicas da farmacêutica para evitar bactérias nas mamadeiras e chupetas:

- Algumas mães deixam os objetos em água fervente a fim de esterilizá-los, mas ao contrário do que imaginam, esse procedimento não é seguro. Recipientes plásticos em temperatura elevada liberam substâncias cancerígenas, o que indica ser a prática um método muito perigoso. Para desinfetar mamadeiras, bicos, chupetas e até máscaras de inalação, existem recursos mais adequados, como o uso de bactericidas sem enxágue, que são facilmente encontrados em farmácias e supermercados. O importante é que o produto adquirido tenha eficácia comprovada pela Anvisa.

- Além da higienização diária, os bicos de mamadeiras e chupetas devem ser trocados a cada seis semanas ou, caso seja observada alguma fissura, devem ser trocados imediatamente, pois essas fendas facilitam o acúmulo de bactérias, dificultando a desinfecção.

- Sobre o transporte dos utensílios, o ideal é que seja feito em um recipiente seco que já tenha sido esterilizado com um bactericida.

- A melhor maneira de evitar a proliferação de bactérias é lavar sempre as mãos antes de manusear esses objetos. As toalhas devem estar sempre secas e devem ser lavadas periodicamente.



Fonte: Adriana Coppola Faria - Farmacêutica da Saggio do Brasil.