Páginas

quarta-feira, 6 de março de 2013

Doce sem cárie

Quando as crianças crescem, é comum que tenham vontade de experimentar novidades ao paladar, e, nesse quesito, os doces, balas, salgadinhos, sorvete e bolachas, que contêm açúcar e outros nocivos na composição, geralmente não passam despercebidos. Porém, se o consumo desses produtos não for acompanhado de uma boa higienização bucal, pode acarretar no desenvolvimento de cáries, lesões no esmalte dentário, por conta da ação de bactérias na boca. Mas, a boa notícia é que, apesar de a cárie ainda aparecer nos dentes das crianças brasileiras, a incidência dela vem diminuindo no país.




A Pesquisa Nacional de Saúde Bucal - Projeto SB Brasil 2010, realizada pelo Ministério da Saúde, em 177 municípios e com 38 mil pessoas de diferentes grupos etários, registrou avanços no quadro de saúde bucal no país nos últimos anos. Apesar do índice de 66% das crianças brasileiras com até 12 anos de idade apresentarem cárie dental ainda ser considerado alto, a pesquisa aponta uma redução de 26% da doença nessa faixa etária desde 2003.

Outro dado relevante apontado no estudo é o número de crianças que nunca tiveram cárie na vida. A proporção de crianças livres de cárie aos 12 anos cresceu de 31% para 44%. Isso significa que 1,4 milhão delas não têm nenhum dente cariado atualmente - 30% a mais que em 2003. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o país saiu da condição de média incidência de cárie, em 2003, para baixa incidência em 2010. Ainda de acordo com a classificação, o índice indicado para cada país deve estar entre 1,2 e 2,6 dentes cariados por crianças. O Brasil já conseguiu atingir a média de 2,1.

Porém, apesar dos bons índices brasileiros, os pais não devem se descuidar. É importante que se tornem parceiros dos professores na educação sobre higiene bucal infantil. Com isso, aumentam as chances de as crianças se tornem adultos com dentes saudáveis. De acordo com a cirurgiã-dentista Drª Andrea Cury, da Clínica Cury, em São Paulo, existem algumas ocasiões em que os pais devem ficar mais atentos: “Os meses que incluem férias escolares e festas de final de ano, por exemplo, são mais propícios a uma alimentação inadequada, normalmente disponível na casa de avós e amigos”, explica.

A seguir, algumas dicas da especialista aos pais:

•Toda mudança na alimentação requer também mudanças na higiene bucal. É difícil controlar o consumo das guloseimas, por isso, estabeleça horários!
•É necessário escovar os dentes, no mínimo, três vezes ao dia. Nunca deixe o seu pequeno ir para a cama sem escovar os dentes. Quando dormirmos, a produção de saliva cai, deixando os dentes mais suscetíveis à ação das bactérias e cárie;
•A técnica de escovar os dentes é tão importante quanto a frequência da escovação;
•O ideal é que a criança escove os dentes sempre após as refeições e depois de ingerir alimentos doces, que contém açúcar, como os chocolates, bolos, sorvetes e bolachas.