Páginas

quarta-feira, 20 de março de 2013

Onde a lua e a montanha se encontram

Filha de taiwaneses, a autora americana Grace Lin passou parte da infância sem ter contato com a cultura da terra dos pais. Aos 11 anos, passou a ler alguns livros com histórias e contos de fadas chineses e, a partir de então, não parou de explorar o rico folclore de seus ancestrais. Com base no fascínio por essa cultura e experiências vividas durante viagens pelas terras asiáticas, a autora escreveu “Onde a lua e a montanha se encontram”, livro lançado no Brasil pela Editora Salamandra.



A história gira em torno da grande aventura que a garotinha Minli percorre para mudar a sorte de sua família. A menina e os pais moravam em um vilarejo pobre, onde vida era difícil de ser levada: a terra era seca e o pouco que nascia ali mal dava para alimentar aqueles que lá moravam. Não à toa, a montanha próxima era chamada de “Montanha Infrutífera”.

Apesar da vida difícil, Minli se encantava todas as noites com as histórias mágicas que o pai contava durante o jantar. Eram lendas tão fantásticas, que a transportavam para outra realidade, mesmo que ela já tivesse ouvido o conto tantas outras vezes. Uma noite, o pai de Minli contou “A história do Velho Homem da Lua”, que falava sobre um senhor, capaz de responder qualquer pergunta no mundo, e ficou com aquilo na cabeça: e se ela achasse esse velho sábio, certamente poderia melhorar a vida dos pais.

No dia seguinte, Minli pegou suas coisas e foi atrás de uma chance para mudar a sorte de sua família. E, a partir daí, o que segue é uma aventura cheia de criaturas mágicas, em que o leitor aprende a importância de ir atrás daquilo em que se acredita e que a espera por coisas que parecem impossíveis sempre vale a pena.

As ilustrações são também de Grace Lin e a tradução de Tatiana Maciel. O livro é indicado para crianças a partir de oito anos.