Páginas

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Crianças na estrada... Sozinhas.

E chega o dia em que o seu filhote terá de viajar sozinho... Por mais que os pais criem as crianças para serem pessoas independentes, sempre rola aquela ansiedade básica quando é chegada a hora de dar mais corda para a cria, não é mesmo?
Antes de despachar o pequenino pelo Brasil ou mundo afora, é bom fazer uma avaliação cuidadosa do nível de maturidade do futuro viajante. A criança deve ter independência para dar conta de suas necessidades básicas sozinha, como ir ao banheiro e se alimentar; saber informações sobre ela mesma, como nome completo, nome do pai e da mãe, endereço e telefone; ter facilidade em se comunicar e, principalmente, não ter problemas em passar um período sem os pais. Já imaginou uma crise de “quero minha mãe” em uma viagem internacional, por exemplo? Que dó!
Mas, seja qual for o destino escolhido, explique para a o seu filho o passo a passo de todo o processo, para tranquilizá-lo sobre o que está por vir. Certifique-se também de que a pessoa que irá recebê-lo já sabe os dados da criança e informações sobre o voo. Ah! Uma coisa fundamental: não se esqueça de providenciar a autorização judicial para viagem de menor desacompanhado. Ela é obrigatória para crianças até 12 anos e pode ser conseguida em um posto do Juizado de Menores da sua cidade.
Uma informação para deixar os pais mais calmos é que as companhias aéreas oferecem todo o apoio necessário a crianças que viajam sozinhas: além de ter embarque e desembarque preferencial, a garotada conta com o acompanhamento de um funcionário durante todo o trajeto.
Agora é só arrumar as malas e tentar conter a garotada, que fica se contorcendo de ansiedade até chegar o dia da viagem.

Crédito da imagem: FreeDigitalPhotos.net